Diaconato permanente: Diocese está em processo de encaminhamento e inscrição dos candidatos

Há cerca de um ano a Diocese de Cruz Alta iniciou o processo de implantação do Diaconato Permanente. Foi realizada em todas as paróquias a motivação sobre o sentido, a identidade e a missão do diaconato permanente, assim como foi estudado com algumas lideranças o documento Diretrizes para o Diaconado Permanente da Igreja no Brasil (Doc. 96 da CNBB). No momento, a Diocese está no processo de encaminhamento e inscrição dos candidatos, visto que as aulas iniciarão a partir do mês de março, em data a ser definida pela Faculdade.

De acordo com o Bispo Diocesano, Dom Adelar Baruffi, houve uma boa procura, que deverá ser maior com o passar do tempo. “Ainda é uma novidade e muitos se perguntam o que fará depois o diácono. Cremos que, para uma futura turma, quando estes já estiverem atuando, haverá ainda mais procura. O certo é que há espaço para todos os ministérios reconhecidos pela Igreja na evangelização. Eles vêm para somar forças, sobretudo neste tempo em que apostamos tanto na Iniciação à Vida Cristã”, afirma. 

Segundo Dom Adelar, o acento que sempre foi dado ao apresentar este importante ministério, é de que se trata de uma verdadeira vocação, um chamado de Deus para servir no anúncio do Evangelho, na sua Igreja. Portanto, não se trata de um querer, mas de um sentir-se chamado. Também não entra na lógica de uma “carreira” profissional. “É um serviço realizado voluntariamente”, destaca. Conforme explica o Bispo, este ministério é para homens que estão inseridos na caminhada pastoral da sua Paróquia, alguém que já sabe o que significa servir e conhece a caminhada eclesial desde dentro. Portanto, homens de fé e dispostos a se doarem para o bem da Igreja. A família do candidato, lembra Dom Adelar, também é chamada a concordar e fazer este caminho junto. Também, o candidato deve ter o reconhecimento e a palavra do Conselho Paroquial de Pastoral e o pároco. “Na verdade, é a igreja paroquial que envia um ou mais de seus membros para se prepararem para esta importante missão”, reforça.

PREPARAÇÃO 

Para ser um Diácono é necessário um curso preparatório. A Província Eclesiástica de Santa Maria está realizando uma pareceria com a FAPAS (Faculdade Palotina), que elaborou um projeto de formação. As aulas serão presenciais e à distância, somando juntas o total de 1.096 h/a. A previsão de duração é de três anos. Estão previstas aulas um fim de semana por mês, mais uma semana intensiva em janeiro. Também são previstos estágios pastorais supervisionados, ligados, especialmente à futura missão do diácono na ação evangelizadora. O currículo prevê aulas das principais disciplinas da Teologia, Bíblia, Moral, Pastoral, História Eclesiástica e Direito Canônico. 

Na Diocese, conta Dom Adelar, uma Comissão fica responsável para acompanhar todo este processo de formação. Vale dizer que os candidatos deverão ter, também, a aprovação desta Comissão e do bispo diocesano para poderem receber a ordenação diaconal. 

Por Greice Pozzatto

Assessora de Comunicação da Diocese de Cruz Alta

Publicada em 11/12/2017 às 13:52:40

Mitra Diocesana - Rua Duque de Caxias, 729 - Cruz Alta RS, 98005-200 - (0xx)55 3322-6920